terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Polícia Civil investiga fraudes na concessão de unidades habitacionais

Delegados e promotores prestaram esclarecimentos durante coletiva de imprensa (Foto: Andrey Santana)
A Polícia Civil deflagrou na manhã desta segunda-feira, 1, a Operação Lares. Foram cumpridos cinco mandados de buscas e apreensão, além de oito conduções coercitivas [quando a pessoa é obrigada a comparecer à delegacia para prestar esclarecimentos] para investigar um suposto esquema de vendas de casas em conjuntos habitacionais.

A denúncia do esquema à Polícia Civil foi feita pela atual gestão da Secretaria de Habitação e Interesse Social (Sehab). Outra denúncia feita ao Ministério Público do Acre (MP-AC) foi apresentada por uma das pessoas envolvidas no esquema.

Foram mais de três meses de investigação até o cumprimento dos mandados da primeira fase da Operação Lares. Segundo o inquérito, os agentes públicos e as pessoas que agiam como corretores de imóveis cobravam cifras entre cinco e trinta mil reais para selecionar pessoas inscritas para sorteio de unidades habitacionais em conjuntos populares.

“Já identificamos trinta e quatro compradores dessas casas, oito pessoas que agiam como corretores de imóveis e servidores públicos, além de outros sete suspeitos. Constatamos durante a investigação que esse grupo chegou a arrecadar mais de meio milhão de reais com a venda dessas casas”, explicou o delegado do caso, Roberth Alencar.

Pelo menos 40 pessoas foram ouvidas, antes do cumprimento das buscas e conduções coercitivas das principais partes envolvidas no esquema. O grupo pode responder por corrupção ativa, organização criminosa e tráfico de influência. Já os compradores, podem responder por corrupção passiva.

“O Estado não coaduna com tais práticas criminosas, é preciso que isso fique claro. Investigamos e combatemos o crime em quaisquer esferas, quer envolvam agentes públicos ou não”, pontuou o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias.

Agência Acre

Nenhum comentário:

Postar um comentário