quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Governador entrega casas à população indígena de Cruzeiro e Tarauacá

Governador Tião Viana entrega casa a povos indígenas no Acre (Foto: Francisco Rocha/G1)

O governo do Acre entregou nesta quarta-feira (5) mais de 160 casas em aldeias indígenas no interior do estado. As moradias foram construídas por meio do Programa Nacional de Habitação Rural do Governo Federal (PNHR) em parceria com a Caixa Econômica Federal. No total, foram investidos ao menos R$ 5,3 milhões.
Na primeira etapa do programa, foram contemplados os índios da etnia Katukina que ficam às margens da BR-364, em Cruzeiro do Sul e os índios da Aldeia pinuya, localizada no município de Tarauacá.
Para o governador Tião Viana, o estado não pode deixar de dar assistência aos povos indígenas que tanto contribuíram para a história do Acre. "A finalidade do Programa é oferecer mais dignidade às famílias que não têm condições construírem uma moradia melhor", explica.
Para o líder José Kaxinawa, que trabalha como assessor de assuntos indígenas no governo do Acre, a inclusão dos povos indígenas no PNHR é uma forma de trazer mais dignidade ao povo, antes humilhado e discriminado pela sociedade.
Índios recebem casas no interior do Acre (Foto: Francisco Rocha/G1)

“Nosso povo já não é mais o mesmo. Hoje vivemos agrupados em pequenos lotes de terras devido o crescimento das cidades. Nossa cultura não é mais tão forte como era antes. Portanto, é preciso se adaptar a essa relação com os outros que não são índios. Com certeza essas casas vão trazer mais dignidade ao povo indígena”, fala.
Ainda de acordo com o assessor, um dos motivos que levou o governo a contemplar os índios Katukinas, é devido ao impacto que eles sofreram com a construção da BR-364, que corta a terra indígena. Outro fator, é em relação a área que pertence aos índios não ter mais madeira e nem palheira para a construção de novas moradias. 
A inclusão dos índios no programa PNHR foi comemorada na Aldeia. O cacique Fernando Katuna disse que os índios já sofreram muito preconceito e hoje, querem também a modernidade dos não índios. 
“A vida do nosso povo hoje é diferente, os índios eram considerados selvagens, nós não somos selvagens, somos donos da floresta e preservamos nossa terra. Mas merecemos também a modernidade” diz o cacique.
Francisco RochaDo G1 AC

Nenhum comentário:

Postar um comentário