segunda-feira, 18 de março de 2013

Conselho de Economia no Acre alerta para “casca de banana” no chamado marketing de multimídia que virou febre depois do TelexFree

Empresa brasileira com mesmo modelo da TelexFree dispara e-mails para formação de uma nova rede de divulgadores nacionais do chamado marketing multimídia
telex1111

Enquanto os órgãos públicos analisam como investigar a rede TelexFree no Acre e em todo o Brasil, empresas que integram o chamado marketing de rede, continuam entupindo os correios eletrônicos de mensagens tentando incorporar divulgadores em nova empreitada. O chamado comércio multimídia está se tornando uma febre em cada esquina, ambiente de trabalho, escola, faculdade, vizinhança e até mesmo no seio familiar há alguém envolvido no negócio.
Diante desta tendência do marketing de rede, o ac24horas entrevistou o presidente do Conselho de Economia do Acre, José Idalécio, para averiguar se a empreitada é legal e se há alguma “casca de banana” por trás de toda promessa.
O economista afirmou que tais investidores atraídos pela atividade rentável esquecem o risco que esse tipo de negócio “com pele de cordeiro” pode trazer. Para Idalécio ainda é cedo para dizer que dimensão o TelexFree pode tomar em termo de prejuízo, caso venha decretar falência.
“A curto prazo ele se apresenta como uma atividade rentável, a médio mostra a existência de problemas e a longo é um risco total”, comentou.
A rede brasileira conhecida como Multiclick Equipe, tem o mesmo modelo de operação do TelexFree e vem entupindo os correios eletrônicos na busca de novos investidores, de uma empresa que eles julgam ser 100% brasileira, com sede no balneário Camboriú, no Estado de Santa Catarina.
“Todas elas precisam de um estudo aprofundado, apresentam meios de comunicação e de pagamento que geram desconfiança”, acrescentou Idalécio.
O economista confirmou que economicamente, esse tipo de negócio causa desordem nos Bancos Centrais do mundo. O chamado capital volátil, também conhecido como “dinheiro voador”, busca rápidos ganhos, entra e sai rapidamente do país, em busca de novas e melhores oportunidades em outras nações.
“Também é conhecido como capital especulativo serve para a especulação financeira”, disse o economista.
O especialista alerta para as chamadas pirâmides que podem ser construídas e que utilizam as pessoas para através do cadastro, obter renda extra.
Jairo Carioca – da redação de ac24horas

Nenhum comentário:

Postar um comentário